Os Caminhos Rumo à Fotografia Profissional

Muitos idealizam apenas a carreira de fotógrafo como glamour, imaginando trabalhos com fotografia publicitária, editoriais de moda ou ainda vernissage em galerias de arte. Poucos se interessam em conhecer a realidade dos bastidores: muito trabalho e um longo caminho, marcado por esforço e dedicação, para consolidar o próprio nome no mercado e conquistar o respeito dos pares.

Vamos, antes de tudo, definir o que é um fotógrafo profissional: é aquele que ganha dinheiro fazendo fotografias, enquanto o amador faz apenas por amor. Não considero que um seja melhor do que o outro, embora o profissional tenha a obrigação de se formar, se especializar, se atualizar.

Não existe um caminho ideal para se começar uma carreira profissional na fotografia nem há uma formação acadêmica específica, sequer há um curso de fotografia nas universidades públicas ou empregos com planos de carreiras. Com exceção de alguns jornais e revistas, com redações cada vez mais enxutas, os fotógrafos são freelas!

Em um mercado super competitivo, os profissionais autônomos, com as mais diversas formações, precisam correr atrás de trabalho todos os dias, estudar e aprender continuamente.  Entender este sistema é um trabalho demorado e muito mais complexo que compreender o funcionamento da câmera e o comportamento da luz.

No meu caso, me formei em Desenho Industrial na Escola de Belas Artes da UFRJ. Logo nos primeiros períodos quando tive as primeiras aulas de fotografia e laboratório (fotografar com filme preto e branco, revelar os negativos e depois ampliar em papel fotográfico) decidi que queria viver de fotografia, e procurei uma formação que me preparasse para o mercado.

Logicamente, não encontrei ali. Tive uma ótima experiência e uma formação muito mais abrangente, mas, nada prática. Procurei alguns cursos fora da universidade, mas também eram muito superficiais: ou muito básicos, ou muito específicos.

Como não há no país um curso para formação de fotógrafos profissionais, a melhor escola é a prática, o mercado de trabalho e a troca de experiências. Posso dizer que minha experiência como fotógrafo assistente foi uma grande escola e que mesmo estando no começo da carreira,  percebo que treinar sempre e buscar inspirações em grandes nomes já representam boa parte do caminho a ser percorrido.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *