Assistente, Aprendiz e Sempre Fotógrafo

Ser assistente de um grande fotógrafo é uma experiência importante no início da carreira um fotógrafo. Foi assim comigo em parceria com o Alexander Landau, um profissional que é referência na área de fotografia de gastronomia. Trabalhei como assistente dele por um ano.

Não existe um caminho para se começar uma carreira profissional na fotografia nem há uma formação acadêmica ideal. Mas, com experiência de causa, posso dizer que a melhor escola é ser assistente. É o aquele velho caso em que “a gente ganha pouco mas se diverte”, e ao mesmo tempo também se aprende muito.  Trabalhar ao lado de um bom fotógrafo é um diferencial no começo da carreira profissional.

Por meio do convívio, pude perceber que um bom fotógrafo conhece bem o assunto que fotografa. Um fotógrafo de moda experiente, por exemplo, consegue identificar em um instante, todos os defeitos de uma foto, como a postura da modelo, dobrinha na roupa, imperfeições na pele, etc.

Após muitos meses de parceria, posso dizer que o Landau é assim com os pratos que fotografa: em um primeiro olhar, ele identifica qualquer defeito, folhas murchas na salada, carne fora do ponto, sobremesa ressecada. Coisas que admito, comecei a ver somente depois da convivência.

Aprendi muito com o Landau, observando como usar as fontes de luz, flash e luz contínua, rebatedores, etc. Mas, especialmente, convivi e vi como se resolvia problemas do dia a dia na prática, se relacionava com clientes e fornecedores e lidava com imprevistos e dificuldades. Viramos amigos e tenho muito orgulho disso e de ter passado por essa etapa profissional e de ter trabalhado com ele.

Ao final de um ano de trabalho, o último projeto que fizemos juntos foi o livro As 101 Melhores Receitas Brasileiras, da Ana Maria Braga. As fotos do livro foram produzidas entre janeiro e fevereiro de 2014 e a obra teve projeto gráfico de um monstro do design editorial brasileiro, o Victor Burton.

A idéia do livro da Ana Maria era mostrar pratos típicos brasileiros, porém, com um diferencial:a produção sofisticada. Não é comum lembrarmos fotos de receitas tradicionais do Brasil servidas em pratos de louça sofisticados. E no livro foi assim.

Acumulei as funções de assistente e fotógrafo de making of. A princípio, minhas fotos seriam usadas como suporte para divulgação, pois a prioridade era dar assistência às fotos de comida. Mas, quando o livro foi lançado, tive uma surpresa: um capitulo inteiro com as minhas fotos de bastidores, com um destaque muito maior que esperávamos.

Este trabalho foi uma experiência para minha carreira e tive a sorte de ser assistente de um grande profissional e trabalhar ao lado de outros tantos. Assistir também é aprender!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *